terça-feira, 6 de outubro de 2009

6º de Letras - SARAU DE POESIA VIRTUAL




A aula de hoje pode se caracterizar como uma atividade colaborativa e lança mão de diversos recursos disponíveis na internet. A finalidade maior desta interação entre o grupo é que vocês possam tanto realizar as tarefas propostas como, depois, possam refletir sobre ela. Para tanto, haverá divisão da atividade em duas partes, cada uma em uma postagem diferente. Divirtam-se.



SARAU DE POESIA

Sarau é uma reunião de pessoas interessadas em poesia e música. Quando essas pessoas se encontram para este fim, declamam poemas e ouvem ou tocam músicas que emocionam geralmente os ouvintes. Na escola, podemos fazer uma adaptação do sarau com as crianças, como nas seguintes sugestões:- O professor prepara uma coletânea de poemas dos mais variados, no mesmo número de alunos da sala, de modo que todos participem. As cópias dos poemas serão colocadas numa caixinha ou em algum recipiente que deixe os alunos curiosos para saber o que terão para ler.-

O professor deverá explicitar para os alunos que um sarau serve para que as pessoas compartilhem a arte, seja em forma de poesia ou de música, onde cada qual apresenta seu poema ou música favoritos. Valem tanto poemas seus, como de poetas conhecidos.- Cada aluno escolherá aleatoriamente um poema e, sentados em um grande círculo, lerão os textos.- Após o sarau, vale a pena levá-los a comparar os diversos poemas lidos, quanto a sua forma e seu conteúdo. Depois disso, exponha os poemas, de acordo com suas semelhanças, agrupados em um cartaz.-

Ao final dessa atividade, os alunos devem ser solicitados a produzir seus próprios poemas para o “próximo sarau” na escola”. COMO ESTAMOS NO MUNDO VIRTUAL, E FUTURAMENTE SEUS ALUNOS TAMBÉM, NOSSO SARAU SERÁ ON-LINE E COLABORATIVO:- cada um de vocês escolherá um poema em qualquer site da internet- escolhido o poema, vocês vão colá-lo no local destinado aos comentários- ao colar ou copiar o poema, já acrescente seu comentário sobre o motivo da escolha.- além disso, cada um deverá escolher o poema de outro colega para comentar. - ao final do nosso sarau, cada pessoa deverá ter feito uma pesquisa e dois comentários ao menos.Como dizia Galileu Galilei: " Ó manhã dos inícios!"

40 comentários:

  1. MARCO AURÉLIO

    6º SEM. LETRAS UNISUZ




    FILHOS PRÓDIGOS

    DE ONDE ELE ERA NÃO SE SABE,
    NEM SEU NOME RECEBE REGISTRO,
    MAS QUE ERA FAZENDEIRO, É VERDADE,
    E ERA TAMBÉM MUITO RICO.
    É CERTO QUE TINHA DOIS FILHOS.
    É CERTO QUE TINHA PUJANÇA.
    E QUE NAQUELE DIA FATÍDICO,
    INCERTO EM TANTAS MUDANÇAS,
    OUVIRIA DO MAIS NOVO FILHO
    UM EMERGENTE PEDIDO:
    — EU QUERO A MINHA PARTE NA HERANÇA.

    PARTE, REPARTE, QUEM FICA COM A MELHOR PARTE?
    É FEITA A PARTILHA EM PORÇÕES.
    E EM TANTAS DIVISÕES REQUERIDAS,
    PARTE-SE A LINDA FAMÍLIA,
    QUEBRAM-SE TRÊS CORAÇÕES.

    O DIA DEMORA AMANHECER NA FAZENDA.
    A NOITE INSISTE, PREGUIÇOSA SE VAI...
    UM GALO CANTA, OUTRO GALO EMENDA.
    O PAI; O CHEIRO DO CAFÉ SE ESVAI,
    ENSAIA-SE UMA CANTILENA.

    UM CAVALO ENCILHADO.
    O FILHO MAIS VELHO JÁ NO CAMPO.
    OUVE-SE O SOM DE UM COPO ESTILHAÇADO,
    E DE DOR, UM GRITO, UM PRANTO.
    DESCOBRE-SE A CAMA VAZIA
    E UM BILHETE A DIZER:
    —“VOU-ME EMBORA PARA OUTRAS LIDAS... MUITO MAIS DIVERTIDAS.
    TER A MULHER QUE QUERO, NA CAMA QUE ESCOLHER.

    COM O CORAÇÃO GALOPANTE E NA BOCA O GOSTO DE AVENTURA.
    ENCONTRA NO PAÍS DISTANTE, UMA COMBINAÇÃO DESTRUTIVA!
    POR DIZER MULHERES, DROGAS E NOITADAS, DIGA-SE: VIDA LIBERTINA.

    DINHEIRO NA MÃO É VENDAVAL — UMA ÚLTIMA DOSE.
    O JOVEM RICO CONTA AS MOEDAS, SENTE-SE INCAPAZ.
    VÊ-SE POBRE COMO NUNCA DANTES,
    E CONHECE O INFERNO DE DANTE,
    MESMO MUITO TEMPO ATRÁS.

    DESGENERESCÊNCIA, DEGRADAÇÃO, DÚVIDA E DOR.
    SORVE O SABOR DESUMANO DAS PALAVRAS.
    SENTE O PODER DA FRAQUEZA,
    E FRACO, E FAMINTO,
    DESPIDO DE TODA GRANDEZA,
    CONHECE A MORTE NA VIDA
    A MESMA MORTE SEVERA
    DE TANTOS PRÓDIGOS SEVERINOS.

    EM TEMPOS, QUANDO OS ANIMAIS SÃO MELHORES DO QUE GENTE.
    EM TEMPOS, QUANDO O MAL TRIUNFA SOBERANAMENTE
    E ALFARROBAS SÃO NEGADAS.
    O JOVEM ENCONTRA NA LAMA AS
    VERDADEIRAS PÉROLAS AOS PORCOS LANÇADAS.
    E CAI. PROSTRA-SE EM SI. E ALI,
    ENSIMESMADO — DESCOBRE-SE.


    O DIA APRESSA-SE A AMANHECER NA FAZENDA.
    O SOL BRILHA POR CIMA.

    O CAMINHO DE VOLTA É ALTERNADO EM TOMBOS E DESEJOS.
    RESIGNADO, PREPARA UM DISCURSO CONVENCEDOR.
    E O PAI O SURPREENDE COM O NOBRE-SIMPLES-AMOR
    ENLANÇANDO-O COM CORDAS DE ABRAÇOS E BEIJOS.

    "NA MINHA CASA NÃO HÁ LUGAR PARA EMPREGADOS.
    HOJE É DIA DE FESTA!"
    MEU FILHO VOLTA ARREPENDIDO
    E EU CORRO AO SEU ENCONTRO.
    NOVAS ROUPAS,
    ANEL NOS DEDOS.
    JÁ MANDEI PREPARAR O BEZERRO
    ENGORDADO PARA A OCASIÃO.
    HOJE TEM YOM KIPPUR NA FAZENDA.
    É DIA DE CELEBRAÇÃO".


    O FILHO MAIS NOVO FOI ACHADO.
    O FILHO MAIS VELHO ENTENDEU.
    O QUE O CORAÇÃO DO PAI JAMAIS ESQUECERÁ:
    QUE É SEMPRE BOM TER ESPERANÇA,
    QUE É SEMPRE DIVINO PERDOAR.




    Comentário:

    Escrevi esse poema inspirado pela clássica parábola de Jesus intitulada: O Filho Pródigo. O intuito era o de dar uma conotação atual... Se bem, que, independentemente de mim, a parábola será sempre oportuna. A temática é existencial. Espero que alimente o intelecto e, sobretudo, sacie a sede da alma.



    Marco Aurélio de Queiroz
    Tel: 11 80214631

    ResponderExcluir
  2. Paula Barbosa Pudo8 de outubro de 2009 11:55

    Acredito que cada vez mais nos aproximamos da alma dos poetas quando a intertextualidade nos mostra que eles já habitam nossa mente, nosso espírito. Parabéns pela sensibilidade, Marco.

    ResponderExcluir
  3. Paula Barbosa Pudo8 de outubro de 2009 12:06

    Fernando Pessoa

    --------------------------------------------------------------------------------

    ANÁLISE

    Tão ABSTRATA é a idéia do teu ser
    Que me vem de te olhar, que, ao entreter
    Os meus olhos nos teus, perco-os de vista,
    E nada fica em meu olhar, e dista
    Teu corpo do meu ver tão longemente,
    E a idéia do teu ser fica tão rente
    Ao meu pensar olhar-te, e ao saber-me
    Sabendo que tu és, que, só por ter-me
    Consciente de ti, nem a mim sinto.
    E assim, neste ignorar-me a ver-te, minto
    A ilusão da sensação, e sonho,
    Não te vendo, nem vendo, nem sabendo
    Que te vejo, ou sequer que sou, risonho
    Do interior crepúsculo tristonho
    Em que sinto que sonho o que me sinto sendo.
    12-1911


    Escolhi este poema, pois há mais de dez anos não li ainda nada que sintetize com tamanha precisão o que verdadeiramente sente a pessoa que ama com toda sua essência...na música, Renato Russo fez algo semelhante em Sete Cidades, vale a pena ouvir...linda música, lindo poema!!

    ResponderExcluir
  4. Autopsicografia

    O poeta é um fingidor.
    Finge tão completamente
    Que chega a fingir que é dor
    A dor que deveras sente.

    E os que lêem o que escreve,
    Na dor lida sentem bem,
    Não as duas que ele teve,
    Mas só a que eles não têm.

    E assim nas calhas da roda
    Gira, a entreter a razão,
    Esse comboio de corda
    Que se chama o coração.

    Fernando Pessoa
    ---------------------------------------------
    "Autopsicografia" traduz um pouco o que penso ao ler poemas e foi por isso que o escolhi.

    ResponderExcluir
  5. Autopsicografia

    O poeta é um fingidor.
    Finge tão completamente
    Que chega a fingir que é dor
    A dor que deveras sente.

    E os que lêem o que escreve,
    Na dor lida sentem bem,
    Não as duas que ele teve,
    Mas só a que eles não têm.

    E assim nas calhas da roda
    Gira, a entreter a razão,
    Esse comboio de corda
    Que se chama o coração.

    Fernando Pessoa
    ---------------------------------------------
    "Autopsicografia" traduz um pouco o que penso ao ler poemas e foi por isso que o escolhi.
    Apesar de transmitir (ou fingir rsrs) sentimentos de sempre, o poeta é tão individual quanto cada um de nós e talvez seja por isso que nos identificamos com ele.

    ResponderExcluir
  6. A PRIMEIRA VEZ QUE ENTENDI

    A primeira vez que entendi do mundo
    alguma coisa
    foi quando na infância
    cortei o rabo de uma lagartixa
    e ele continuou se mexendo.

    De lá pra cá
    fui percebendo que as coisas permanecem
    vivas e tortas
    que o amor não acaba assim
    que é difícil extirpar o mal pela raiz.

    A segunda vez que entendi do mundo
    alguma coisa
    foi quando na adolescência me arrancaram
    do lado esquerdo três certezas
    e eu tive que seguir em frente.

    De lá pra cá
    aprendi a achar no escuro o rumo
    e sou capaz de decifrar mensagens
    seja nas nuvens
    ou no grafite de qualquer muro.



    Escolhi este poema por gostar muito dos poemas de Affonso Romano de Sant’Anna, e também porque seria interessante trabalhar ele no Ensino Médio, pois ao ler poderíamos sugerir aos alunos que eles produzissem seu próprio poema.

    ResponderExcluir
  7. JUNTO A TI, DESFAÇO-ME.
    JUNTO DE TI, DESARMADO, DESALMADO...
    NÃO CAMINHO SOU LEVADO A UMA ESTRADA
    MUITA LUZ E
    UM MENINO DENTRO EM MIM
    CORRENDO ALUCINADO
    ENAMORADO DE UM SONHO
    DE UM CORPO
    NU
    NOS TEUS BRAÇOS
    CONFIANTE
    JUNTO, EM TI.

    ResponderExcluir
  8. AQUELES OLHOS VERDES PASSARAM POR MIM
    NÃO ERAM VERDES TANTO QUANTO AQUELES
    VERDES GLOBAIS DA NOVELA DAS OITO.
    POR ISSO, NÃO PUDE ADMIRÁ-LOS
    SOMENTE PERCEBÊ-LOS POR
    MEUS OLHOS JÁ CONTAMINADOS.
    NÃO ERAM BONITOS
    ERAM VERDES.
    EU OS TROUXE PARA O MEU POEMA -
    QUIS SER JUSTO.
    E SER JUSTO É SER BELO,
    AINDA QUE EU SÓ VEJA A BELEZA
    INJUSTA PELO QUADRADO-REDONDO
    DE MINHA TELE VISÃO.
    AQUELES OLHOS VERDES NÃO ME OLHARAM
    AQUELES OLBHOS VERDES PODERIAM SER BELOS
    SE LESSEM, SE APENAS LESSEM MINHAS CONSTRUÇÕES POÉTICAS.
    PODERIAM ATÉ ME PERDOAR
    E QUEM SABE
    PODERIAM ATÉ
    ESVERDEAR MEU AMADURECIMENTO.

    MARCO AURÉLIO

    ResponderExcluir
  9. POEMA-MINUTO
    MINUTO INUSITADO: O PRIMEIRO OLHAR
    MINUTO INACABADO: A FILA DE ESPERA

    NA TEORIA UM MINUTO DEVE CONTER 60 SEGUNDOS
    O QUE FUNCIONA MUITO BEM NO RELÓGIO.
    NA VIDA UM MINUTO TEM QUANTOS SEGUNDOS
    A SITUAÇÃO EXIGIR.
    UM MINUTO NA SALA DE AULA COM A
    PROFESSORA PREFERIDA PASSA MUITO RÁPIDO
    O EQUIVALENTE A UM SEGUNDO.
    TENTE O INVERSO,
    LEVA HORAS.

    SERES APOÉTICOS LEVARIAM UMA VIDA PARA LER
    ESSE POEMA E NÃO VERIAM NADA.

    OS POETAS LEEM COMENDO PALAVRAS E
    DIVERTINDO-SE NO ESPAÇO
    ENTRE POÉTICO.

    OS POETAS LEEM EM UM MINUTO
    DIALOGANDO COM O POEMA
    A VIDA INTEIRA.

    MARCO AURÉLIO

    ResponderExcluir
  10. Quem Sabe um Dia – Mário Quintana

    Quem sabe um dia
    Quem sabe um seremos
    Quem sabe um viveremos
    Quem sabe um morreremos!

    Quem é que
    Quem é macho
    Quem é fêmea
    Quem é humano, apenas!

    Sabe amar
    Sabe de mim e de si
    Sabe de nós
    Sabe ser um!

    Um dia
    Um mês
    Um ano
    Um (a) vida!

    Sentir primeiro, pensar depois
    Perdoar primeiro, julgar depois
    Amar primeiro, educar depois
    Esquecer primeiro, aprender depois

    Libertar primeiro, ensinar depois
    Alimentar primeiro, cantar depois

    Possuir primeiro, contemplar depois
    Agir primeiro, julgar depois

    Navegar primeiro, aportar depois
    Viver primeiro, morrer depois
    -----------------------------------------------
    Escolhi este poema de Mário Quintana, pois aprendi a admirar suas obras, sua maneira simples de jogar com as palavras, sua forma simples de tocar o coração, sem rodeios, com clareza e precisão.

    ResponderExcluir
  11. ESCREVI ESSES TRÊS POEMAS NUM FÔLEGO, NA CORRERIA DO DIA-A-DIA.
    SEI QUE É POSSÍVEL NÃO PERDER A SENSIBILIDADE MESMO QUANDO A VIDA NOS EMPURRA, NOS SUFOCA.

    ResponderExcluir
  12. apreciar primeiro,
    ler depois.

    Lindo o poema que vc, Edlene, escolheu.

    valeu.

    ResponderExcluir
  13. Galerinha, o poema postado por vocês são ótimos.
    Pena nem todos terem conseguido deixar uma "marquinha" ainda.
    Marco obrigada pelo comentário, como eu disse os poemas do Mário Quintana são simples, porém marcantes, pelo menos para mim.
    Até mais... Beijinhos a todos.

    ResponderExcluir
  14. GALERA, AQUI É O NATAN.TUDO MUITO LINDO.VOCÊS ESTÃO INSPIRADOS MESMO.
    TÔ SEMPRE DE OLHO NESSE BLOG.
    PARABÉNS SUPER PAULA PELA IDEIA.

    ResponderExcluir
  15. VOCÊS SÃO TÃO FOFOS!!!
    AMEI. TAMBÉM TENHO UM PENSAMENTO:
    "QUEM ESCREVE DEVE SABER QUE SUAS CRIAÇÕES NÃO SÃO MAIS SUAS, MAS DE QUEM AS LÊ".

    BEIJOS DA FÁTIMA...

    ResponderExcluir
  16. SOU A LUCIANA DO CURSO DE LETRAS. ESSA TURMA É INCRÍVEL.SEGUNDO JÚLIO PLAZA, EM TRADUÇÕES INTERSEMIÓTICAS , AS LINGUAGENS VEICULADAS POR DIFERENTES MEIOS E SUPORTES DIALOGAM DE FORMA DIFERENCIADA COM NOSSO SISTEMA SENSÓRIO E NELE FICAM INSCRITAS.
    É ISSO AÍ, PESSOAL, A PROFESSORA PAULA TEM MOSTRADO A IMPORTÂNCIA DESSE VEÍCULO DE COMUNICAÇÃO CHAMADO INTERNET.

    ResponderExcluir
  17. POEMA PARA MIM, TEM CHEIRO DE INFÂNCIA. AI QUE SAUDADE DA MINHA INFÂNCIA QUERIDA...ESSE BLOG É UM PASSEIO QUE REVIVE EXPERIÊNCIAS PASSADAS E APONTA PARA OUTRAS VIVÊNCIAS FUTURAS.
    A TURMA DO 6º DE LETRAS ESTÁ DE PARABÉNS. QUERO REGISTRAR AQUI MEU ELOGIO À PROFESSORA PAULA.
    VALEU!

    ResponderExcluir
  18. UM VERSO DE AMOR NÃO PRECISA TER RIMA,
    PRECISA SER RIMA.
    UM VERSO DE AMOR DISPENSA A MÉTRICA,
    MAS NUNCA, A POÉTICA.
    UM VERSO DE AMOR ESTÁ IMPREGNADO DE SENTIDO,
    CARREGA EM SI UMA ENERGIA NUCLEAR,
    CAPAZ DE EXPLODIR MUNDOS.

    UM VERSO DE AMOR NÃO SE ACANHA,
    NÃO TEM PUDOR,
    NÃO SE RESTRINGE.

    UM VERSO DE AMOR NÃO PRECISA FALAR DE AMOR.
    UM VERSO DE AMOR NÃO PRECISA SER UM VERSO,
    MAS, NECESSARIAMENTE, PRECISA FAZER AMOR COM O LEITOR.
    UM VERSO DE AMOR A GENTE FAZ AGORA,
    VOCÊ ME LÊ NAS PALAVRAS,
    VOCÊ ALCANÇA MEUS SENTIDOS,
    VOCÊ ME TOCA, SUTILMENTE,
    E EU, ESCONDIDO - ESCONDIDO MESMO
    EM MEUS VERSOS -
    SOU O INVERSO DO AMOR
    UM UNIVERSO DE POESIA.

    ResponderExcluir
  19. MARIA EUNICE DE SIQUEIRA28 de outubro de 2009 14:50

    GOSTARIA DE DIZER QUE ESTE CIBERESPAÇO É MUITO INTERESSANTE, POIS, ALÉM DO CONTATO COM A GALERA (POR MEIO DOS COMENTÁRIOS) NOSSO PRÓPRIO CIBERESPAÇO(QUE ESTÁ NA NOSSA CABEÇA) SE AMPLIA.

    ResponderExcluir
  20. OBRIGADO PELOS COMENTÁRIOS EUNICE. VALEU!!!

    ResponderExcluir
  21. Maria Eunice de Siqueira28 de outubro de 2009 15:06

    Conhecer o texto das pessoas
    Por ele tentar conhecê - las um pouco
    Seguir um aqui, admirar outro acolá,
    refutar o de alguém com o qual
    não concorde absolutamente
    Fator de gente
    e só de gente
    competente por gostar
    de se expressar por escrito
    o que sente
    o seu mundo numa ótica diferente
    e tão ricamente
    que por isso vale a pena viver
    e ler, ler, ler...

    ResponderExcluir
  22. Eunice, adorei seu poema!!!!!!
    Simples e conclusivo.
    Acho escrever uma das mais belas formas de expressar o que se sente.
    Até mais!!!!

    ResponderExcluir
  23. SEMPRE VALE A PENA LER... LER BONS LIVROS... POUCOS E BONS LIVROS MUITAS VEZES.
    LER PESSOAS. DEIXAR-SE LER TAMBÉM.
    SER PÁGINA CHEIA, PÁGINA EM BRANCO, SER NOTA DE RODAPÉ... SER COMEÇO, MEIO E FIM... ENFIM, SER VOCÊ COM TODAS AS LETRAS, EM TODAS AS POSSIBILIDADES.

    MARCO AURÉLIO

    ResponderExcluir
  24. QUIS DEUS QUE EU LEVASSE A VIDA ASSIM
    DESPEJANDO PALAVRAS LARVAS LAVRAS
    COMO SE EU FOSSE PETROLÍFERO
    MAS NÃO DE PETRÓLEO
    DE PALAVRAS
    QUANTO MAIS ME CAVO
    MAIS ENCONTRO O RASO
    E EU ME AFUNDO
    NAS PROFUNDEZAS DE MIM

    QUANDO ESTOU LÁ EM BAIXO
    ABISMANDO-ME
    OLHO PARA O ALTO E VEJO
    VEJO PLATÃO SAINDO DA CAVERNA
    ELE SORRI
    SOMBRAS DE PALAVRAS
    EU APANHO O MÁXIMO QUE POSSO
    E SAIO A SEMEAR
    AS ÁRVORES FEITAS DE PALAVRAS

    ÀS SOMBRAS DAS ÁRVORES
    JUNTO AOS RIOS DE BABILÔNIA
    EU DEBRUÇO MEU ROSTO CANSADO

    QUEM SOU EU?
    APENAS UM ESCRAVO DAS PALAVRAS.

    ResponderExcluir
  25. QUEM TEM MEDO DE ASSOMBRAÇÃO?

    NUMA NOITE DESSAS
    NÃO DE SEXTA-FEIRA
    ELE SE MANIFESTA
    NÃO É BRINCADEIRA.

    TUDO OBSCURECE
    MORRE A ALEGRIA
    O CHÃO TODO ESTREMECE
    É SÓ FEITIÇARIA.

    MESMO SEM VASSOURA
    OU SEM CALDEIRÃO
    SEU OLHAR É UMA TESOURA
    NOSSO OLHAR APREENSÃO.

    SE ALGUÉM SE HABILITA
    TECER ALGUM COMENTÁRIO
    ELE LOGO SE AGITA
    E DESPEDAÇA O COITADO.

    QUE SAUDADES DAS SEXTAS-FEIRAS
    QUANDO TUDO É AVENTURA
    QUANDO TUDO É MAGIA, ENCANTAÇÃO.

    QUE SAUDADES DAS SEXTAS-FEIRAS
    QUANDO TUDO É DOÇURA, SONHO, POESIA,
    IMAGINAÇÃO.

    QUE SAUDADE DA BRUXA DA MAÇÃ.


    INSPIRADO EM HANS C. ANDERSEN

    ResponderExcluir
  26. P A U L A - mais que um software

    Minha caneta pensa duas vezes
    antes de descrevê-la.

    Ela é epifania - invocação.
    Sinfonias- emoção.
    Polifonias - confusão.

    Tanto conteúdo
    na palavra
    Paulatinamente, cava.

    Receoso, o poeta, insiste.
    Ambicioso... busca, examina, asculta
    pá lavra
    ele se cala. Ouve-se.
    Uma das vozes insemina sua terra apoética.

    Acontece:

    P oesia invadindo a mente
    A mente fazendo o caminho inverso
    U ma palavra-chave latente
    L uz em meios controversos... e de repente:
    APOETECE!.

    ResponderExcluir
  27. A Rosa de Hiroshima
    Pensem nas crianças
    Mudas telepáticas
    Pensem nas meninas
    Cegas inexatas
    Pensem nas mulheres
    Rotas alteradas
    Pensem nas feridas
    Como rosas cálidas
    Mas, oh, não se esqueçam
    Da rosa da rosa
    Da rosa de Hiroshima
    A rosa hereditária
    A rosa radioativa
    Estúpida e inválida
    A rosa com cirrose
    A anti-rosa atômica
    Sem cor sem perfume
    Sem rosa sem nada.

    Existem muitos poemas belíssimos e que despertam em nós vários sentimentos. Escolhi o poema “A Rosa de Hiroshima” porque além de gostar do poeta Vinicius de Moraes, também é interessante à maneira como trabalhou a metáfora e a critica social sobre o horror que destruiu as duas cidades Hiroshima e Nagasaki matando milhares de pessoas. Esse poema desperta questionamento sobre a atitude do homem e o desejo do poder. O que o homem é capaz de fazer para obter o poder?É claro que não se pode deixar de mencionar a interpretação de Ney Matogrosso que é inigualável. Pode-se dizer que a junção desse poema mais a musicalidade na voz desse interprete criou-se uma nova poesia.

    ResponderExcluir
  28. Nossa!! que turma inspirada. adoooreeeiii todos.


    Tem um poema do heterônimo Alberto Caeiro (Fernando Pessoa) que gostei, alias ele é d + um gênio. Esse poema é longo, postarei um trecho que acho interessante porque vejo uma reflexão da existência, natureza, Deus... enfim é o que eu entendo.

    O Guardador de Rebanhos

    Não acredito em Deus porque nunca o vi.
    Se ele quisesse que eu acreditasse nele,
    Sem dúvida que viria falar comigo
    E entraria pela minha porta dentro
    Dizendo-me, Aqui estou!
    (Isto é talvez ridículo aos ouvidos
    De quem, por não saber o que é olhar para as cousas,
    Não compreende quem fala delas
    Com o modo de falar que reparar para elas ensina.)
    Mas se Deus é as flores e as árvores
    E os montes e sol e o luar,
    Então acredito nele,
    Então acredito nele a toda a hora,
    E a minha vida é toda uma oração e uma missa,
    E uma comunhão com os olhos e pelos ouvidos.
    Mas se Deus é as árvores e as flores
    E os montes e o luar e o sol,
    Para que lhe chamo eu Deus?
    Chamo-lhe flores e árvores e montes e sol e luar;
    Porque, se ele se fez, para eu o ver,
    Sol e luar e flores e árvores e montes,
    Se ele me aparece como sendo árvores e montes
    E luar e sol e flores,
    É que ele quer que eu o conheça
    Como árvores e montes e flores e luar e sol.
    E por isso eu obedeço-lhe,
    (Que mais sei eu de Deus que Deus de si próprio?).
    Obedeço-lhe a viver, espontaneamente,
    Como quem abre os olhos e vê,
    E chamo-lhe luar e sol e flores e árvores e montes,
    E amo-o sem pensar nele,
    E penso-o vendo e ouvindo,
    E ando com ele a toda hora.

    Pessoal !!! não é lindo !!!

    ResponderExcluir
  29. Oi, japonesa

    BELÍSSIMA ESCOLHA... A dA ROSA DE HIROSHIMA...

    TAMBÉM FIZ MINHA ESCOLHA:

    A obra anunciadora de Velimir Khlébnikov, não se parecia com nada do que se fizera anteriormente. Anulavam-se não só os clichês introduzidos pelo simbolismo, mas toda a linguagem convencional se desarticulava. Sua poesia parecia às vezes não ter sentido, mas, na realidade, o que ele trazia, na feliz expressão de Iúri Tinianov, era "um novo sistema semântico". Ela só não tinha sentido para quem não conseguia apreendê-lo, nem perceber nele o verdadeiro significado dos novos tempos.






    A ENCANTAÇÃO PELO RISO

    Ride, ridentes!
    Derride, derridentes!
    Risonhai aos risos, rimente risandai!
    Derride sorrimente!
    Risos sobrerrisos - risadas de sorrideiros risores!
    Hílare esrir, risos de sobrerridores riseiros!
    Sorrisonhos, risonhos,
    Sorride, ridiculai, risando, risantes,
    Hilariando, riando,
    Ride, ridentes!
    Derride, derridentes!

    1910

    (Tradução: Haroldo de Campos)

    ResponderExcluir
  30. MAIS UM POEMA DO POETA RUSSO Velimir Khlébnikov:


    Uma vez mais, uma vez mais
    Sou para você
    Uma estrela.
    Ai do marujo que tomar
    O ângulo errado de marear
    Por uma estrela:
    Ele se despedaçará nas rochas,
    Nos bancos sob o mar.
    Ai de você, por tomar
    O ângulo errado de amar
    Comigo: você
    Vai se despedaçar nas rochas
    E as rochas hão de rir
    Por fim
    Como você riu
    De mim.

    1919-1921

    (Tradução: Augusto de Campos)

    ResponderExcluir
  31. ACESSEM:

    poetamarcusaurelius.blogspot.com

    ResponderExcluir
  32. ESTAMOS ORGANIZANDO UM EVENTO:
    MAGNIGHTS 2010 "TUDO DIFERENTE" . ACONTECERÁ NOS DIAS: 11 DE JANEIRO A 22 DE FEVEREIRO NO ESPAÇO MIX EM SUZANO.
    RECEBEREMOS AS BANDAS:
    11 DE JANEIRO: PG
    18 DE JANEIRO: RONALDO BEZERRA
    25 DE JANEIRO: BARUK
    01 DE FEVEREIRO: ADHEMAR DE CAMPOS
    08 DE FEVEREIRO: LIVRES PARA ADORAR
    15 DE FEVEREIRO: LUCAS SOUZA
    22 DE FEVEREIRO: OFICINA G3

    É UM EVENTO BENEFICENTE. A ARRECADAÇÃO SERÁ REVERTIDA TOTALMENTE PARA O MINISTÉRIO. IREMOS AJUDAR O HOSPITAL DR ARNALDO DE MOGI DAS CRUZES QUE CUIDA DE PACIENTES TERMINAIS. ALGUNS VIVEM LÁ A VIDA TODA.

    11 80214631. magsuzano_jovens@yahoo.com.br
    MARCO AURÉLIO

    ResponderExcluir
  33. Pessoal, quanta inspiração!!
    Parabéns a todos!

    Lu, eu tbm gosto mto do "Rosa de Hiroshima" :)

    ResponderExcluir
  34. Ai gente... cada poema lindo... EEu sou um pouco suspeita, pois sou fascinada por tudo que esteja presente na literatura... Parabéns, vcs realmente são demais...

    Professora Paula... que ideia show...

    Beijosssss
    Marcela

    ResponderExcluir
  35. Testamento (Manuel Bandeira)

    O que não tenho e desejo
    É que melhor me enriquece.
    Tive uns dinheiros - perdi-os...
    Tive amores - esqueci-os.
    Mas no maior desespero
    Rezei: ganhei essa prece.
    Vi terras da minha terra.
    Por outras terras andei.
    Mas o que ficou marcado
    No meu olhar fatigado,
    Foram terras que inventei.
    Gosto muito de crianças:
    Não tive um filho de meu.
    Um filho!... Não foi de jeito...
    Mas trago dentro do peito
    Meu filho que não nasceu.
    Criou-me, desde eu menino
    Para arquiteto meu pai.
    Foi-se-me um dia a saúde...
    Fiz-me arquiteto? Não pude!
    Sou poeta menor, perdoai!
    Não faço versos de guerra.
    Não faço porque não sei.
    Mas num torpedo-suicida
    Darei de bom grado a vida
    Na luta em que não lutei!


    Escolhi o poema "Testamento", de Manuel Bandeira, por expressar uma forte reflexão sobre a vida.

    Madalena

    ResponderExcluir
  36. Retrato


    Cecília Meireles





    Eu não tinha este rosto de hoje,
    assim calmo, assim triste, assim magro,
    nem estes olhos tão vazios,
    nem o lábio amargo.




    Eu não tinha estas mãos sem força,
    tão paradas e frias e mortas;
    eu não tinha este coração
    que nem se mostra.




    Eu não dei por esta mudança,
    tão simples, tão certa, tão fácil:
    — Em que espelho ficou perdida
    a minha face?

    Ana Lúcia 4105

    Escolhi este poema porque reflete a passagem do tempo, que sabemos se dar de maneira veloz, mas somente em determinados momentos constatamos de forma concreta.

    ResponderExcluir
  37. Vaidade – Florbela Espanca

    Sonho que sou a Poetisa eleita,
    Aquela que diz tudo e tudo sabe,
    Que tem a inspiração pura e perfeita,
    Que reúne num verso a imensidade!

    Sonho que um verso meu tem claridade
    Para encher todo o mundo! E que deleita
    Mesmo aqueles que morrem de saudade!
    Mesmo os de alma profunda e insatisfeita!

    Sonho que sou Alguém cá neste mundo ...
    Aquela de saber vasto e profundo,
    Aos pés de quem a Terra anda curvada!

    E quando mais no céu eu vou sonhando,
    E quando mais no alto ando voando,
    Acordo do meu sonho ... E não sou nada! ...



    Eu admiro esta autora a mais ou menos dois anos... Quando a descobri até comentei com o Marco. Então comprei um livro e de todos poemas lidos, este soneto foi o que mais me tocou. Ora por me emocionar, ora pela extrema identificação que tenho por ele. Quando puderam leiam, a conheçam, pois ela é maravilhosa. Uma escritora extremamente profunda. Especial de verdade.

    Só estava faltando o meu né????
    Beijos da Má e do Miguel.

    ResponderExcluir
  38. Soneto do Amor Total

    Amo-te tanto, meu amor... não cante
    O humano coração com mais verdade...
    Amo-te como amigo e como amante
    Numa sempre diversa realidade.

    Amo-te afim, de um calmo amor prestante
    E te amo além, presente na saudade
    Amo-te, enfim, com grande liberdade
    Dentro da eternidade e a cada instante.

    Amo-te como um bicho, simplesmente
    De um amor sem mistério e sem virtude
    Com um desejo maciço e permanente.

    E de te amar assim, muito e amiúde
    É que um dia em teu corpo de repente
    Hei de morrer de amar mais do que pude.

    Quem dá mais, quem dá mais...rsrsrs. Não preciso nem falar o quanto amo esse poeta, tudo que ele escreve... E esse, dos sonetos que conheço é sem dúvida o mais belo, sublime, emocionante... Fez parte do meu TCC, então tenho um carinho muito mais que especial...

    Beijinhosss

    Má e Miguel

    ResponderExcluir
  39. Pode ser que um dia deixemos de nos falar...
    Mas, enquanto houver amizade,
    Faremos as pazes de novo.

    Pode ser que um dia o tempo passe...
    Mas, se a amizade permanecer,
    Um de outro se há-de lembrar.

    Pode ser que um dia nos afastemos...
    Mas, se formos amigos de verdade,
    A amizade nos reaproximará.

    Pode ser que um dia não mais existamos...
    Mas, se ainda sobrar amizade,
    Nasceremos de novo, um para o outro.

    Pode ser que um dia tudo acabe...
    Mas, com a amizade construiremos tudo novamente,
    Cada vez de forma diferente.
    Sendo único e inesquecível cada momento
    Que juntos viveremos e nos lembraremos para sempre.

    Há duas formas para viver a sua vida:
    Uma é acreditar que não existe milagre.
    A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre.


    Meus amores este é especialmente à vcs. Tudo o que passamos, tduo o que brigamos rsrsrs... Mas no fim conseguimos e estmoa aqui, vitoriosos, como devia ser. Parabéns. Vcs são milagrinhos da minha vida....

    Obrigada por tudo

    beijos

    ResponderExcluir