sexta-feira, 30 de novembro de 2012

ATIVIDADE DO 4º SEMESTRE DE LETRAS - ESCRITORES DA LIBERDADE

DIÁRIO DOS ESCRITORES DA LIBERDADE

       NO INÍCIO DESTE SEMESTRE, INICIAMOS NOSSAS ATIVIDADES ACADÊMICAS DEFININDO QUAIS SERIAM NOSSOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO. UM DELES ERA UM TRABALHO DE REFLEXÃO SOBRE UM FILME QUE VERÍAMOS NO FINAL DO SEMESTRE. OUTRA ATIVIDADE PROPOSTA FOI A ESCRITA SEMANAL DE UM BREVE DIÁRIO QUE CADA ALUNO DEVERIA ESCREVER, REGISTRANDO SUAS IMPRESSÕES E REFLEXÕES SOBRE SUA APRENDIZAGEM NO CURSO DE LETRAS. A IDEIA DOS DIÁRIOS FOI INSPIRADA NO FILME "ESCRITORES DA LIBERDADE". PORTANTO, AGORA FAREMOS DUAS TAREFAS NUMA SÓ!

       VEJA O TRAILER DO FILME PARA RECORDAR ALGUMAS CENAS MARCANTES E REGISTRE NO ESPAÇO DE COMENTÁRIOS ABAIXO:

1. Uma breve análise sobre questões pedagógicas e metodológicas apresentadas no filme sobre a professora, a escola, os alunos, as aulas em geral.

2. Faça um resumo dos seus diários escritos ao longo do semestre, destacando os pontos mais relevantes para sua formação pedagógica e acadêmica.





11 comentários:

  1. Maíssa N. Venâncio30 de novembro de 2012 13:44

    Uma lição de vida para os professores e alunos de um modo geral, o filme escritores da liberdade propõe a ideia de mudanças dentro da sala de aula. Os métodos de ensino utilizado pela professora Erin, instigaram os mesmos a se interessarem pelos estudos. A situação não foi fácil devido aos antecedentes dos alunos.
    Com um simples gesto de tentar conhecê-los a professora distribui diários para que a classe contasse um pouco de sua vida. Dentro deles podemos ver as historias mais triste e marcante para a vida de um adolescente, porem foi ótimo o seu método, pois incentivou a leitura deles e também a praticarem a escrita com suas próprias palavras, inclusive no filme tem uma aluna que comenta que ira publicar seu próprio livro.
    Historia de muito conhecimento e visão do mundo em que vivemos para a sociedade, os fatos mais marcantes ocorridos também neste semestre agora falando da minha vida também ficou bem gravado em meu diário, para que futuramente quando formada eu posso ler e recordar as ótimas explicações e aulas dinâmicas dadas em sala de aula.

    ResponderExcluir
  2. Escritores da Liberdade mostra exemplos de exclusão social, mostra o preconceito, a violência, enfim a subvida vivenciada por um grupo de adolescentes, grupo este bem heterogêneo. Adolescentes sem esperança alguma, mas que a partir do momento que foram apresentados à Senhora G e passaram a conviver com a mesma, acordaram para a vida.
    Trata-se de uma história de superação, o caminho do fracasso ao sucesso, e a vontade de vencer.
    Enfim, traz esclarecimentos de querer, a metodologia usada é eficaz e tem seus efeitos, uma professora de conduta simples chega e faz o diferencial, vai ganhando a confiança dos alunos e assim faz com que alguém passe acreditar na possibilidade, de se tornarem pessoas melhores.
    A escola não ajuda nem um pouco, para melhor crescimento dos alunos, uma escola na qual não credita no aluno, não distribui um material em bom estado, a escola em si era uma escola antiga que não creditava na melhora do aluno.
    E assim, ao longo do meu semestre destacando os pontos mais relevantes com os diários feitos em sala de aulas, consegui adquirir conhecimentos que possam ser usados ao longo da minha formação acadêmica.
    Um dos pontos mais relevantes em sala foi o momento no qual podemos tanto aprender como brincar uma dádiva na qual todos deveriam fazer.
    No filme escritores da liberdade, conseguimos também ver o aprendizado a partir de rimas de rap , ou coisas parecidas,ou seja, faze algo com que nos identificamos, torna tudo mais fácil e bem melhor...


    ResponderExcluir
  3. O Filme escritores da liberdade mostra-nos a reflexão pedagógica e metodológica a cerca de uma escola onde existia uma divisão de alunos cujo os mais problemáticos eram reunidos em uma só sala, excluídos de tudo e de todos. Os alunos sabiam desta exclusão, e isso fazia com que a revolta predominasse dentro de suas mentes a se alastrar até atingir o convívio social destes.
    A escola tinha uma forma pedagógica muito diferente para lidar com os jovens, esta forma os excluía totalmente, como se fossem núcleos pedagógicos diferentes, lidando de formas distintas dos problemas enfrentados pelos alunos, que afetava diretamente a questão escolar.
    A professora vendo todo o fato que acontecia em sua volta, e percebendo que o problema não se tratava dos alunos em si, mas, da organização escolar que não sabiam lidar com aqueles alunos.
    A professora depois de notar a questão que mais afligia e atingia o desempenho escolar ( as drogas, envolvimentos com bandidos, armas entre outras coisas) conseguiu de uma forma mais dinâmica na sala com a intenção de destacar as questões sociais que os afligiam e ao mesmo tempo ensina-los o conteúdo e também como poderiam lidar com os problemas enfrentados
    Ao longo do semestre notei que a questão pedagógica não é são só lidar com alunos, mas entender, ajudar, ensinar e apoiar os alunos no âmbito de seu desempenho escolar. A questão pedagógica é muito ampla, pois desenvolve questões sociais, que como no filme Escritores da Liberdade mostra, este fator importantíssima faz com que nos futuros professores ou professores consigamos enxergar e se aproximar cada vez mais destes alunos que precisam de um apoio e não o acham em casa.

    ResponderExcluir
  4. Angela Vaz Modaneze Felinto30 de novembro de 2012 14:00

    Ao assistir o filme Escritores da liberdade aprendi que os professores tem certas dificuldades, mas com profissionalismo e empenho muitos conseguem trabalhar de forma correta, assim foi o que aconteceu com a senhora Gruwell. Um primeiro momento enfrentou vários desafios, mas com profissionalismo soube controlar a situação, mostrando aos alunos que eram desinteressados por vários motivos. Quando foi para lecionar para uma turma da sala 203 enfrentou muitos problemas a começar pelos seus próprios companheiros de profissão, porém não saiu derrotada mostrou a sua proposta e não tendo retorno da escola procurou outros meios de levar aos alunos conhecimento tendo visto que os mesmos não eram valorizados e por isso o motivo do desinteresse. É com este propósito que quero seguir esta profissão, assim como ela quero ter conhecimento o suficiente para passar aos alunos, mas não só conhecimento mostrar a eles tudo de melhor que um professor poderá levar para a sala de aula.
    Em um primeiro momento me vi no lugar da professora, pois estou trabalhando na rede estadual de ensino e quando entrei em sala de aula passei pelos os mesmos problemas, mas como sou batalhadora consegui controlar a situação sair de lá com dever comprido.
    Como uma futura educadora sei que tenho muitas dificuldades, mas procuro esforçar – me para sair daqui com a proposta a que pretendo levar ao longo da minha para ter uma carreira digna a que sentirei orgulho de falar dela.







    ResponderExcluir
  5. No livro Escritores da Liberdade vemos a garra de uma professora que assume uma sala problemática e com seus métodos tenta mudar a perspectiva de estudo e de vida desses jovens.
    A cada dia um novo desafio, a escola e o outros professores já consideram essa turma como perdidos, marginais delinquentes problemáticos, mas para a professora suas aulas são uma oportunidade de mudança.
    No começo houve uma resistência dos alunos ao ver a insistência da professora mas ao longo das aulas seus métodos começam a ficar interessantes aos alunos e daí surge um uma sala disposta a mudar a visão daquela escola.
    Com um resultado surpreendente a professora consegue seu objetivo e a vida daqueles jovens é transformada pelo estudo e formação.
    Ao longo do semestre destacando as atividades feitas com o diário em sala de aula, aprendi a como elaborar um planejamento de aula lembrando dos planejamentos da professora que fez toda a diferença em sala de aula.

    ResponderExcluir
  6. Silvania Cruz dos Santos30 de novembro de 2012 14:02

    Mesmo novata na função e sentindo que teria uma tarefa árdua pela frente, a professora teve uma percepção apurada, iniciando seu trabalho com foco nos pontos onde havia maior carência e a necessidade de mais atenção, ou seja, a falta de motivação e perspectiva na vida de seus alunos.
    Uma das táticas adotadas e que mais influenciou positivamente foi a adoção do hábito da leitura, principalmente, situações reais de sofrimento, miséria e discriminação dentro da história da humanidade, como por exemplo, o holocausto, período da Segunda Grande Guerra.
    A professora ensina a seus alunos a valorizar a si mesmos, aprender sobre os sentimentos, tolerância, a investir em seus sonhos e principalmente dar continuidade a seus estudos além da escola básica.
    Uma história muito bonita a qual a professora Paula Pudo se inspirou e nos propôs escrever um breve diário semanal.
    Neste semestre pude aprender nas aulas da professora Paula que devemos ser “diferente” inovar sempre, para buscar o interesse dos nossos alunos, temos que preparar aulas que fujam dos padrões e que façam com que eles se aproximem de nós professores. E assim como a professora Erin Gruwell, devemos ser dedicados e trabalhar com amor naquilo que propomos.

    ResponderExcluir
  7. Regina dos Anjos RGM: 517030 de novembro de 2012 14:05

    O filme “Escritores da Liberdade”, é um filme que passa de maneira resumida o perfil de uma escola que se assemelha as escolas de periferia existentes no Brasil. No entanto o filme emociona pelo fato de passar como exemplo o perfil de uma professora totalmente compromissada com o que faz. Dona G como é chamada pelos alunos é uma professora insistente e determinada que conseguiu encarar todas as dificuldades de frente.
    Um dos principais problemas observados nessa escola é o comportamento dos alunos, pois inicialmente os mesmos se mostram agressivos, tudo isso graças a vida dolorosa e violenta que tiveram, a partir daí começa a luta da professora G para libertar aqueles alunos do sofrimento que carregavam. Cheios de mágoas, esses alunos mostram o porquê das atitudes que têm, uma delas o racismo, outra a morte de amigos queridos vítimas de violência.
    Todos estudam em uma escola que aparentemente parece ter boa estrutura, mas que não dá chances para eles exporem o que sabem, tornando um ambiente desagradável e conflitante.A professora, cheia de carisma aos poucos vai mostrando a luz na vida daqueles adolescentes, sacrifica sua vida, abdica do seu casamento tudo por amor a profissão e aos alunos.
    Ao termino do filme a conquista dessa professora emociona, ela consegue cativar os alunos, e tirá-los da vida amarga na qual cada um vivia, e foi por meio de montagens de diários que cada aluno expôs suas histórias.
    Com base nas análises do filme, foi por meio de um diário sugerido pela professora em sala de aula que expusemos nossas ideias a respeito das aulas, dos planejamentos, e o porquê é tão importante ser professo.Tudo o que fizemos ao longo do semestre foi produtivo, e fechar o mesmo assistindo ao filme “Escritores da Liberdade”, nos deu a ideia de que ser professor não é somente passar um conteúdo, mas é lutar com firmeza pelos ideais, não desistindo nunca por mais difíceis que sejam, assim como a professora G fez.

    ResponderExcluir
  8. Simone Bernardes RGM: 486930 de novembro de 2012 14:05

    O filme “Escritores da Liberdade” mostra o dia-a-dia de uma professora recém formada, que começa a ministrar aulas em uma escola com boas médias, mas que agora faz parte de um programa para integrar alunos que estão inseridos em gangues. A Professora que é iniciante sofre nas primeiras aulas, pois as primeiras impressões não são as melhores, mas aos poucos ela começa a compreender que precisa mostrar aos alunos que não irá desistir deles. A escola tem uma boa estrutura, mas não estavam acostumados com aqueles tipos de alunos, por isso não se preocupavam com a formação dos mesmos, uma parte marcante do filme é quando a diretora se recusa a emprestar os livros de literatura aos alunos pois eram livros novos e era melhor que ficassem na biblioteca do que fossem rasgados ou estragados pelos alunos considerados violentos. Mas a professora que não ia desistir de seus alunos, comprou livros para eles lerem, levou eles em exposições, e deu para cada aluno um diário, em que eles registravam tudo que acontecia na vida turbulenta deles, essa foi a forma que ela encontrou para se aproximar deles e saber o que ela poderia ensinar para eles que fosse mais significativo e que fizesse parte da realidade deles. A escola não apoiou a professora no seu plano de aula e por isso ela procurou outros meios para desenvolver seu trabalho, que inclusive foi muito bem reconhecido por seus alunos, que no fim do segundo ano quiseram que ela continuasse com eles nos anos seguintes, o que também foi uma batalha já que a diretora não queria deixar, pois achava que a professora não estava capacitada para isso por ter pouco tempo ministrando aulas.
    O filme é muito interessante e emocionante a historia de uma professora compromissada que encara sua profissão com muita dedicação e firmeza.
    Diante da ideia do diário do filme, fomos instruídos por nossa professora a fazer um diário de nossas aulas.Foi possível aprender e compreender com mais clareza as exposições em sala, já que ao fim de cada aula escrevíamos o que aprendemos no dia. A questão dos trabalhos em que montávamos um plano de aula e aplicávamos, nos mostrou as dificuldades e principalmente a facilidade ao aplicar um conteúdo em que você compreende o objetivo. Por fim foi possível compreender a importância que tem o professor saber planejar suas aulas, para melhor utilizar os recursos disponíveis.

    ResponderExcluir
  9. Eliana Pinto Mourão Theodoro30 de novembro de 2012 14:07

    O Filme retrata a trajetória de alguns alunos do colégio Wiltons, sala 203 por serem adolescentes que conheceram somente a violência nas ruas de Los Angeles . Aprenderam a sobreviver em gangues, para não morrerem nas lutas constantes o preconceito raciais de negros contra brancos, ou latinos, a paz era impossível.
    Com a chegada da professora Grwel , começa uma nova etapa na vida deles,ela iniciando-se como professora, mas com muita vontade de fazer a diferença e mudar a vida daqueles adolescentes, no qual seus colegas de trabalho nunca acreditou que estes alunos um dia mudariam o seu modo de pensar , e de agir sua luta não foi fácil , muito obstáculos surgiram ,aos poucos eles eram solucionados.
    Vencer a resistência deles tornou-se o seu objetivo de vida, depois de uma reflexão decidiu comprar livro e doa-los a eles com seu próprio dinheiro para que aprende-se que eles não eram os únicos a sofrerem com o preconceito, a muito tempo os judeus um povo muito descriminados pelos Alemães sofreram terríveis tortura e sempre foram tratados como animais até o dia que aconteceu holocausto muitas famílias morreram outra que sobreviveram contam sua história com muita tristeza.
    Depois dessa experiência os alunos começaram a ler com mais afinco e prestar atenção no que a professora G assim como eles tratavam.O método usado por ela incomodava seu a colegas professores principalmente a diretora que não adaptava-se ao jeito que ela ministrava sua aulas, e aos poucos conquistava cada um deles.
    No decorrer do ano letivo resultado, significantes apareciam a sala 203 , já não brigavam mais o seu relacionamento foram melhorando a cada dia , eles aprenderam a reivindicar por melhorias, até lutar para modificar as regras da escola para terminarem juntos aquela etapa de sua caminhada nos estudo .Percebe-se que no filme vem retratar e alertar que nós professores temos que ter o dom de ensinar e aprender com nossos alunos, todos tem suas dificuldades, seja alunos ,professores.
    Um bom mestre e aquele que esta sempre planejando sua aula para conseguir que seu alunos assimile a sua proposta pedagógica , de um jeito com que a mudança venha fazer a diferença na vida de seus alunos.

    ResponderExcluir
  10. Aline Oliveira de Almeida30 de novembro de 2012 14:07

    O filme Escritores da liberdade passa uma visão de como todos os professores deveriam ser, a dedicação e amor que deveriam ter pela profissão escolhida, a ideia de tentar fazer a diferença como professor.
    A professora G. acreditava no potencial dos alunos da sala 203, ao contrario dos demais professores da escola inclusive a coordenação. Ela sabia que aqueles alunos com suas historias de vida tinham muito para aprender mais tinham muito para ensinar também.
    Ela se preocupava em proporcionar o melhor ao aluno, o melhor material e da o melhor de si como professora, no meu ponto de vista isso é muito importante, porque o aluno ao perceber que alguém valoriza o que ele é, ele também retribui o mesmo valor com o professor e com a escola.
    Todos da escola antes da professora G. julgavam os alunos como marginais, pois não conheciam como era o dia a dia de cada um, nem como era o relacionamento com a família. A Dona G. quis conhecer cada um, saber um pouco mais da vida deles, para só assim ela criar um método de ensino adequado para aquela turma. Isso também no meu ponto de vista é de extrema importância, porque o professor na sala de aula, não pode oferecer um conteúdo sem se importar com o retorno que terá do aluno.
    Creio que é um ponto positivo do professor reconhecer que o método adotado por ele não é bom, e mudar para outros meios até encontrar o adequado, assim como a Dona G. que por meio dos diários, ela reconheceu que precisa ajudar aqueles alunos a vencer primeiro as batalhas da própria vida e depois vencer a resistência da escola contra eles.
    A dedicação do professor também conta muito no método de ensino, mostrar importância em tudo que acontece com o aluno, de certa forma passa segurança para ele, e isso gera respeito, que é o que precisa nas escolas de hoje, professores mais dedicados e que reconheçam a responsabilidade que eles têm em mãos que é o futuro do aluno.

    Nesse quarto semestre houve uma grande mudança em minha vida, com a chegada do meu filho o dia ficou mais “curto” e atenção que antes era só da faculdade (aulas, trabalhos, provas) teve que ser dividida com muitas outras coisas, mas toda essa mudança em minha vida teve pontos positivos, já levava muito a serio as aulas da faculdade, mas como passei o tempo da licença estudando em casa sozinha, tive que me dedicar ainda mais.
    Nesse período de licença, fiz na escola o estágio proposto pela professora Paula Barbosa, e assim como no estagio anterior, vi coisas que quando eu me formar professora e estiver em uma sala de aula não quero cometer, por exemplo, deixar os alunos dominarem a sala de aula e se comportarem como se estivessem numa festa, e o professor permanecer sentando como se nada estivesse acontecendo.
    Não quero jamais ter o aluno como um ser insignificante dentro da sala. Quero assim como a professora G. do filme escritores da liberdade, me importar com a vida do aluno, ver onde ele mais precisa de ajuda e de alguma forma mostrar a ele que é capaz de superar todos os obstáculos.
    Quero ter orgulho dos alunos que passaram por mim, eu me preocupo sinceramente com o cidadão que vou formar, saber que de alguma forma eu fiz a diferença na vida dele, isso com certeza será muito gratificante.

    ResponderExcluir
  11. Aurea Bela do Nascimento RGM 506928 de novembro de 2013 19:59

    O filme Escritores da Liberdade traz uma mensagem muito positiva para a pedagogia, e mostra a postura de uma professora inovadora, determinada, que busca novos caminhos para realizar um bom trabalho em sala de aula, como todo professor deveria fazer.

    ResponderExcluir