quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

ATIVIDADE DO 3º SEMESTRE DE PEDAGOGIA - 23/02/2012

SERES HUMANOS E SUAS TECNOLOGIAS NO TEMPO E NO ESPAÇO

DESDE NOSSO PRIMEIRO ENCONTRO, TEMOS DISCUTIDO SOBRE AS RELAÇÕES DOS SERES HUMANOS COM AS TECNOLOGIAS QUE ELE MESMO CRIA, SOBRE O IMPACTO DELAS NA VIDA COTIDIANA, O QUE AUTOMATICAMENTE INCLUI NESTE ROL A REFLEXÃO SOBRE AS CONSEQUÊNCIAS DO USO OU DA RECUSA DAS TECNOLOGIAS.

TRATA-SE DE UM ASSUNTO POLÊMICO, DE UM DEBATE NECESSÁRIO E RELEVANTE, DESDE QUE SE LEVE EM CONTA QUE PARA PENSAR NO PRESENTE E NO FUTURO, PRECISAMOS VISITAR E REVER NOSSO PASSADO SÓCIO-HISTORICAMENTE SITUADO.

NA ATIVIDADE DE HOJE, FAREMOS UMA VIAGEM NA HISTÓRIA, ACOMPANHADOS DE GALILEU GALILEI E DE EDGAR MORIN. NO PRIMEIRO FRAGMENTO, VOCÊ LERÁ PARTE DA PEÇA TEATRAL DE BERTOLD BRETCH, QUE APRESENTA UM DIÁLOGO RIQUÍSSIMO ENTRE O CIENTISTA E SEU APRENDIZ ANDREA.

NO SEGUNDO EXCERTO, VOCÊ CONHECERÁ PARTE DO PENSAMENTO DO FILÓSOFO EDGAR MORIN QUANTO ÀS INCERTEZAS HISTÓRICAS QUE O FUTURO NOS RESERVA.

APÓS AS LEITURAS, DISCUTA COM SEUS COLEGAS SOBRE O IMPACTO QUE OS FATOS HISTÓRICOS CAUSAM EM NOSSAS VIDAS. INCLUA EM SEU DEBATE TUDO QUE VOCÊ PENSOU OU SENTIU AO SE DAR CONTA DE QUE O FUTURO É "COMPLETAMENTE" IMPREVISÍVEL E INCONTROLÁVEL. 

TUDO SE MOVE, MEU AMIGO


            [...] Há dois mil anos a humanidade acreditou que o Sol e as estrelas do céu giram em torno dela. O papa, os cardeias, os príncipes, os sábios, capitães, comerciantes, peixeiras e crianças de escola, todos achando que estão imóveis nessa bola de cristal. Mas agora nós vamos sair para fora, Andrea, para uma grande viagem. Porque o tempo antigo acabou, e agora é um tempo novo. Já faz cem anos que a humanidade está esperando alguma coisa.
            As cidades são estreitas, e as cabeças também. Superstição e peste. Mas, agora, veja o que se diz: se as coisas são assim, assim não vão ficar. Tudo se move, meu amigo.
            Gosto de pensar que tudo tenha começado com os navios. Desde que há memória, eles vinham se arrastando ao  longo da costa, mas, de repente, deixaram a costa e exploraram os mares todos.
            Em nosso velho continente nascia um boato: existem continentes novos. E agora que os nossos barcos navegam até lá, a risada é geral nos continentes. O que se diz é que o grande mar temido é uma lagoa pequena. E surgiu um grande gosto pela pesquisa de todas as coisas: saber por que cai a pedra se a soltamos, e como sobe a pedra que arremessamos. Não há dias em que não se descubra alguma coisa. Até os velhos e os surdos puxam conversa para saber das últimas novidades.
            Já se descobriu muita coisa, mas há mais coisas ainda que poderão ser descobertas. De modo que também as novas gerações têm o que fazer.
            Em Siena, quando moço, vi uma discussão de cinco minutos sobre a melhor maneira de mover blocos de granito; em seguida, os pedreiros abandonaram uma técnica milenar e adotaram uma disposição nova e mais inteligente das cordas. Naquele lugar e naquele minuto fiquei sabendo: o tempo antigo passou, e agora é um tempo novo. Logo a humanidade terá a idéia clara de sua casa, do corpo celeste que ela habita. O que está nos livros antigos não lhe basta mais.
            Pois onde a fé teve mil anos de assento, sentou-se agora a dúvida. Todo mundo diz: é, está nos livros -, mas agora nós queremos ver com nossos olhos.
            As verdades mais consagradas são tratadas sem cerimônia; o que era indubitável, agora é posto em dúvida. Em conseqüência, formou-se um vento que levanta as batinas brocadas dos príncipes e prelados, e põe à mostra pernas gordas e pernas de palito, pernas como as nossas pernas. Mostrou-se que os céus estavam vazios, o que causou uma alegre gargalhada.
            Mas as águas da Terra fazem girar as novas rocas, e nos estaleiros, nas casas de cordame e de velame, quinhentas mãos se movem em conjunto, organizadas de maneira nova.
            Predigo que a astronomia será comentada nos mercados, ainda em tempos de nossa vida.  Mesmo os filhos das peixeiras quererão ir à escola. Pois os habitantes de nossas cidades, sequiosos de tudo que é novo, gostarão de uma astronomia  nova, em que também a Terra se mova. O que constava é que as estrelas estão presas a uma esfera de cristal para que não caiam. Agora juntamos coragem, e deixamos que flutuem livremente, desancoradas e elas estão em grande viagem, como as nossas caravelas, desancoradas, e em grande viagem.
            E a Terra rola alegremente em volta do Sol, e as mercadoras de peixe, os comerciantes, os príncipes, os cardeais, e mesmo o papa, rolam com ela.
            Uma noite bastou para que o universo perdesse o seu ponto central; na manhã seguinte, tinha uma infinidade deles. De modo que agora qualquer um pode ser visto como centro, ou nenhum. Subitamente há muito lugar. Nossos navios viajam longe. As nossas estrelas giram no espaço longínquo, e mesmo no jogo de xadrez, agora a torre atravessa o tabuleiro de lado a lado. Como diz o poeta: “ó manhã dos inícios!...
Fonte: A vida de Galileu – Bertold Brecht




OS SETE SABERES NECESSÁRIOS À EDUCAÇÃO DO FUTURO – EDGAR MORIN


            Ainda não incorporamos a mensagem de Eurípedes, que é a de estarmos prontos para o inesperado. O fim do século XX foi propício, entretanto, para compreender a incerteza irremediável da história humana.

            Os séculos precedentes sempre acreditaram em um futuro, fosse ele repetitivo ou progressivo. O século XX descobriu a perda do futuro, ou seja, sua imprevisibilidade. Esta tomada de consciência deve ser acompanhada por outra, retroativa e correlativa: a de que a história humana foi e continua a ser uma aventura desconhecida. Grande conquista da inteligência seria poder enfim se libertar da ilusão de prever o destino humano. 

            O futuro permanece aberto e imprevisível. Com certeza, existem determinantes econômicas, sociológicas e outras ao longo da história, mas estas encontram-se em relação instável e incerta com acidentes e imprevistos numerosos, que fazem bifurcar ou desviar seu curso.
          
         As civilizações tradicionais viviam na certeza de um tempo cíclico, cujo funcionamento devia ser assegurado por sacrifícios às vezes humanos. A civilização moderna viveu com a certeza do progresso histórico. A tomada de consciência da incerteza histórica acontece hoje com a destruição do mito do progresso. O progresso é certamente possível, mas é incerto.


A INCERTEZA HISTÓRICA

            Quem teria pensado, na primavera de 1914, que um atentado cometido em Sarajevo desencadearia a guerra mundial que duraria quatro anos e que faria milhões de vítimas?
            Quem teria pensado, em 1916, que o exército russo se desagregaria e que um pequeno partido marxista, marginal, provocaria, contrariamente à própria doutrina, a revolução comunista em outubro de 1917?
            Quem teria pensado, em 1918, que o tratado de paz assinado trazia em si os germes da Segunda Guerra Mundial, que arrebentaria em 1939?
            Quem teria pensado, na prosperidade de 1927, que uma catástrofe econômica, iniciada em 1929, em Wall Street, se abateria sobre o planeta?
            Quem teria pensado, em 1930, que Hitler chegaria legalmente ao poder em 1933?
            Quem teria pensado, em 1940-41, afora alguns irrealistas, que o formidável domínio nazista sobre a Europa, após os impressionantes progressos da Wehrmacht na URSS até as portas de Leningrado e Moscou, seria acompanhado em 1942 pela reviravolta total da situação?
            Quem teria pensado, em 1943, durante plena aliança entre soviéticos e ocidentais, que a guerra fria se manifestaria três anos mais tarde entre estes mesmos aliados?
            Quem teria pensado, em 1980, afora alguns iluminados, que o Império Soviético implodiria em 1989?
            Quem teria imaginado, em 1989, a Guerra do Golfo e a guerra que esfacelaria a Iugoslávia?
            Quem, em janeiro de 1999, teria sonhado com os ataques aéreos sobre a Sérvia, em março de 1999, e no momento em que estas linhas são escritas, pode medir suas consequências?
            Ninguém pode responder a estas questões no momento da escrita destas linhas, que , talvez, ficarão ainda sem resposta durante o século XXI. Como dizia Patocka: 'O devenir é doravante problematizado e o será para sempre.' O futuro chama-se incerteza.


UM MUNDO INCERTO

            A aventura incerta da humanidade não faz mais do que dar prosseguimento, em sua esfera, à aventura incerta do cosmo, nascida de um acidente impensável para nós, e que continua no devenir de criações e destruições.

            Aprendemos, no final do século XX que, à visão do universo obediente a uma ordem impecável, é preciso substituir a visão na qual este universo é o jogo e o risco da dialógica/dialética (relação ao mesmo tempo antagônica, concorrente e complementar) entre a ordem, a desordem e a organização.

            A Terra,  provavelmente, em sua origem – um monte de detritos cósmicos oriundos de uma explosão solar - , ela própria se auto-organizou na dialógica entre ordem/desordem/organização e sofreu não apenas erupções e terremotos, mas também o choque violento de aerólitos, dos quais um talvez tenha provocado o desprendimento da Lua.


            ENFRENTAR AS INCERTEZAS

            Nova consciência começa a surgir: o homem, confrontado de todos os lados pelas incertezas, é levado em nova aventura. É preciso aprender a enfrentar a incerteza, já que vivemos em uma época de mudanças em que os valores são ambivalentes, em que tudo é ligado. É por isso que a educação do futuro deve se voltar para as incertezas ligadas ao conhecimento.

22 comentários:

  1. ENFRENTAR AS INCERTEZAS É INEVITAVEL,MAS FAZ COM QUE SEJAMOS MAIS HUMILDES E SOLIDÁRIOS

    ResponderExcluir
  2. Procuramos tanto pela certeza das coisas que encaramos um mundo instavel e incerto.

    ResponderExcluir
  3. Alessandra Ribeiro RGM 5324 3 Ped B1 de março de 2012 12:20

    É certo que vivemos em uma época de mudanças e incertezas e em qualquer momento, algo novo pode acontecer...
    Ao ler e ouvir a profª comentar sobre os acontecimentos que viraram história no mundo, logo lembrei da queda das torres gêmeas, causado pelos ataques terroristas de 11 de setembro de 2011. Me lembro que estava na escola e então a aula parou para ver e ouvir sobre o acontecido. Foi tudo tão de repente. Ao presenciar esse fato acompanhando as notícias pela televisão, ficou essa data marcada por um momento tão dramático na vida de muitos, bem como na história do mundo.

    ResponderExcluir
  4. Luciana Negrão RGM 5285 3ºPed-B1 de março de 2012 13:40

    Luciana Negrão RGM 5285 - 3ºPed.B - 1/03/2012.

    Temos que estarmos prontos para o inesperado, não conseguimos prever o amanhã, o futuro é imprevisível e enfrentar as incertezas é nosso desafio pois nem tudo é tão controlado como pensamos.
    Enfrentar as incertezas é estar aberto ao novo e isso significa buscar conhecimento para vencer esse bicho de sete-cabeças que ainda assombra tanto " as tecnologias", temos que nos aliar a ela para tornar nossa vida mais acessivel.

    ResponderExcluir
  5. Aline Turquett RGM 5441 3 Pedagogia B11 de março de 2012 07:37

    O mundo esta em constante mudanças e temos que estar preparado para o que esta por vir,quem diria que os estados Unidos iria ser atacado pelo Iraque e com esse ataque aconteceria uma grande crise lá afetando até mesmos outros países importantes e a crise da Europa quem poderia imaginar.
    E com todos estes acontecimentos as pessoas estão se tornando mais egoísta ou mais solidárias com o próximo ?

    ResponderExcluir
  6. Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver nosso Curso de Informática Online. Lucas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paula Barbosa Pudo29 de maio de 2012 17:15

      Ok, muito obrigada por participar, Lucas!

      Excluir
  7. Aliani Teixeira Costa RGM: 525020 de março de 2012 06:57

    Tudo em nossa vida é incerto. A única certeza que temos é da morte, coisas que jamais imaginamos já aconteceram, e a melhor maneira de lidar com as incertezas é buscar o conhecimento, estar aberto a novas opurtunidades,tudo isso se torna um desafio constante em nossas vidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com voce Aliani, não temos certeza de nada, pensamos que temos várias coisas e na verdade tudo que temos depende de algo que não dominamos, sendo assim, precisamos ter humildade para reconhecer que somos impotentes diante de algumas situações. Entretanto, na vida profissional as nossas incertezas devem ser superadas com estudo e dedicação, para que as nossas incertezas se transforme em algo positivo em nossas vidas.
      ANA ROSA RGM 4477

      Excluir
  8. A vida é composta de incertezas, mas talves esta seja a maior dádiva da vida...

    GISELE 5 LETRAS RGM 4638

    ResponderExcluir
  9. acho que as incertezas fazem parte da vida.Afinal temos que lidar com elas diariamente,,,,,




    cintia 5 ped A rgm 4150

    ResponderExcluir
  10. Adriana Pereira R. da Silva RGM:5202 3º PED A8 de abril de 2012 17:06

    No texto diz que “o futuro chama-se incerteza”, incerteza porque ninguém pode imaginar o que uma decisão poderá causar no mundo, poderá causar coisas boas ou coisas ruins.Por isso temos que pensar muito bem antes de tomarmos alguma decisão, temos que pensar nos pontos positivos e negativos que essa decisão poderá causar.

    ResponderExcluir
  11. Incerteza - tecnologia - tudo se move.
    A humanidade sempre esteve em constante mudança.
    Ignorância daqueles que dizem que as coisas são e ficarão do mesmo jeito, de que coisas não vão mudar.
    Exemplos disso são infinitos...As doenças e as curas, a escassez da água em um tempo futuro perto, o homem chegando em outro planeta, as consequências do efeito estufa e do aquecimento global, os avanços tecnológicos, entre outros.
    Quanto ao futuro, ele é incerto, por mais que planejamos, não sabemos se irá concretizar ou não.
    Nossos pensamentos estão sempre mudando de acordo com nossos interesses e aprendizados.
    A tecnologia que facilita nosso dia dia, diminui a mão de obra humana, nos faz ler menos livros, ter menos contato pessoal em um bate papo, uma vez que tudo pode ser feito a distancia, pela internet.
    O novo que fica velho em um espaço curto de tempo.
    Vários acontecimentos mostram como o mundo é incerto, se move constantemente e a tecnologia surpreende a cada dia.
    Tudo está tão acelerado, que quando nos damos conta já se passaram muito tempo, seja um amigo ou parente que não vemos, trabalhos excessivos, raros passeios e descansos, muitos sonhos, enfim além do mundo em movimento estamos acelerados no nosso dia dia, se pararmos para pensarmos quanto coisa já aconteceu e quantas coisas irão acontecer?

    ResponderExcluir
  12. Márcia de Jesus 4481
    A filosofia nos ensina muito a pensarmos nas decisões a serem tomadas no nosso cotidiano,com certeza as incertezas do que virá estão presentes na vida de todos seres humanos.É preciso nós como futuros professores ajudar as pessoas a pensarem e a enfrentarem todas as incertezas futuras.

    ResponderExcluir
  13. Rita de Cássia Pedroso 456518 de maio de 2012 07:12

    "O Futuro Chama-se Incertezas", um titulo bem coerente para nossa realidade. Que certeza temos hoje do futuro dos nossos filhos? As atitudes de hoje terão resultados positivos ou negativos em alguns anos? temos certezs de nossas dúvidas, que realmente são muitas, mas do futuro a unica certeza que temos e a nossa vontade de que seja bom. Para isso nossa participação na formação de novos "pensantes", crianças conscientes, é de extrema importancia.

    ResponderExcluir
  14. As tecnologias nos remete a mares nunca antes velejados, deixando nossos pés sem chão firmes para apoiar, mas devemos ser capazes de caminhas mesmo sem chão, assim como Jesus andou sobre as águas, devemos acredita que dará certo.
    Pois Edgard Morin deixa claro que devemos aprender a lidar com as incertezas, porque elas podem vir a qualquer momento e devemos estar preparados.

    ResponderExcluir
  15. Eunice RGM:4828 5°Letras
    Para mais informações sobre as incertezas da educação no futuro recomendo visita no site; "Seminário e Sociedade", segue pequeno resumo...Excelente matéria para nós futuros professores.

    Para Morin “Seria preciso ensinar princípios de estratégias que permitiriam enfrentar os imprevistos, o inesperado e a incerteza (...) É preciso aprender a navegar em um oceano de incertezas em meio a arquipélagos de certeza.”
    Morin cita alguns itens que justitificam estas incertezas:
    .
    • “Um princípio de incerteza cérebro-mental, que decorre do processo de tradução/reconstrução própria do conhecimento.
    • Um princípio de incerteza lógica: como dizia Pascal muito claramente. “Nem a contradição é sinal de falsidade, nem a não-contradição é sinal de verdade”.
    • Um princípio da incerteza racional, já que a racionalidade, se não mantém autocrítica vigilante, cai na racionalização.
    • Um princípio de incerteza psicológica: existe a impossibilidade de ser totalmente consciente do que se passa na maquinaria de nossa mente, que conserva sempre algo de fundamentalmente inconsciente.

    ResponderExcluir
  16. Claro vivemos num mundo cheio de mudanças, e incertezas é inevitavél.Mas temos que ser humildes e solidarios.Fatima RGM 4966

    ResponderExcluir
  17. A incerteza nos aflige, não saber o que vai acontecer daqui um dia ou um ano é preocupante, mas temos que viver um dia após o outro,tentando ser feliz e respeitando o próximo, e o que tiver que acontecer simplesmente acontecerá

    ResponderExcluir
  18. kelly Cristina 1ºB noturno pedagogia RGM: 5429

    Devemos sim pensar no futuro de nossos alunos, para que eles possam ter uma boa colocação no mercado de trabalho.

    ResponderExcluir
  19. Angela Murakami 6º Ped A RGM: 5127
    Não podemos ter certeza do dia de amanhã e dos seus acontecimentos, porém devemos estarmos esperando preparados para as coisas que podem ocorrer, e na educação não é diferente, nossos alunos e a educação também passam por mudanças, e é necessário estarmos preparados, atualizados e planejados, para que quando estas mudanças aconteçam possamos trabalhar da melhor maneira possível.

    ResponderExcluir