sábado, 27 de agosto de 2011

ATIVIDADE DO 6º SEMESTRE DE LETRAS - 27/08/11

O QUE É O VIRTUAL?


ESTA PERGUNTA ENTITULA UM DOS LIVROS DO FILÓSOFO PIERRE LÉVY, NO QUAL SÃO DISCUTIDOS PONTOS CRUCIAIS PARA A DEFINIÇÃO DESSE FENÔMENO DO QUAL SOMOS CONTEMPORÂNEOS: A VIRTUALIZAÇÃO.
LEIA AS CITAÇÕES ABAIXO E TROQUE ALGUMAS IDEIAS COM SEUS COLEGAS A RESPEITO DESSA TEMÁTICA.

A palavra virtual é empregada com frequência para significar a pura e simples AUSÊNCIA DE EXISTÊNCIA, a “realidade” supondo uma efetuação material, uma presença tangível.
O real seria da ordem do “tenho”, enquanto o virtual seria da ordem do “terás”, ou da ilusão, o que permite geralmente o uso de uma ironia fácil para evocar as diversas formas de virtualização.
A palavra virtual vem do latim medieval virtualis, derivado por sua vez de virtus, força, potência. Na filosofia escolástica, é virtual o que existe em potência e não em ato. A árvore está virtualmente presente na semente. É o “vir a ser”.
O virtual é um complexo problemático, o nó de tendências ou de forças que acompanha uma situação, um acontecimento, um objeto ou uma entidade qualquer. O problema da semente, por exemplo, é fazer brotar uma árvore. A semente “é” esse problema, mesmo que não seja somente isso. O que significa que ela “conhece” exatamente a forma da árvore que expandirá finalmente sua folhagem acima dela. A partir das coerções que lhe são próprias, deverá inventá-la, co-produzi-la com as circunstâncias que encontrar.
Por um lado, a entidade carrega e produz suas virtualidades: um acontecimento, por exemplo, reorganiza uma problemática anterior e é suscetível de receber interpretações variadas. Por outro lado, o virtual constitui a entidade: as virtualidades inerentes a um ser, sua problemática, o nó de tensões, de coerções e de projetos que o animam, as questões que o movem, são uma parte essencial de sua determinação.
O que é virtualização? Não mais o virtual como maneira de ser, mas a virtualização como dinâmica. A virtualização pode ser definida como o movimento inverso da atualização. Consiste em uma passagem do atual ao virtual, em uma “elevação à potência” da entidade considerada.
A virtualização não é uma desrealização (a transformação de uma realidade num conjunto de possíveis), mas uma mutação de identidade, um deslocamento do centro de gravidade ontológico do objeto considerado. Virtualizar uma entidade qualquer consiste em descobrir uma questão geral à qual ela se relaciona, em fazer mutar a entidade em direção a essa interrogação e em redefinir a atualidade de partida como resposta a uma questão particular. A virtualização é um dos vetores da criação da realidade.



NÃO ESTAR PRESENTE: A VIRTUALIZAÇÃO COMO  ÊXODO



A virtualização pode ser definida pela característica de ser um desprendimento do aqui e do agora. O senso comum faz do virtual inapreensível, o complementar do real, tangível.
Claro que é possível atribuir um endereço a um arquivo digital, mas nessa era de informações online, esse endereço seria de qualquer modo transitório e de pouca importância.
(LEMBREM-SE DE QUE HOJE O ARMAZENAMENTO DE ARQUIVOS É FEITO EM “NUVENS”)
Desterritorializado, presente por inteiro em cada uma de suas versões, de suas cópias e de suas projeções, desprovido de inércia, habitante ubíquo do ciberespaço, o hipertexto contribui para produzir aqui e acolá acontecimentos de atualização textual, de navegação e de leitura.
Quando uma pessoa, uma coletividade, um ato, uma informação se virtualizam, eles se tornam “não-presentes”, se desterritorializam. Uma espécie de desengate os separa do espaço físico ou geográfico ordinários e da temporalidade do relógio e do calendário.
(JOGAR VÍDEO GAMES COMO NINTENDO WII FACILITAM ENTENDER ESSE FENÔMENO)
Ubiqüidade, simultaneidade, distribuição irradiada ou massivamente paralela. A virtualização submete a narrativa clássica a uma prova rude: unidade de tempo  sem unidade lugar (graças à interações eletrônicas, às transmissões ao vivo, aos sistemas de telepresença), continuidade de ação apesar de uma duração descontínua (como comunicação por secretária eletrônica ou por correio eletrônico).
Além de trazer novas noções sobre tempo e velocidade, outro efeito pode ser percebido na virtualização: a passagem do interior ao exterior e do exterior ao interior. As relações entre privado e público, próprio e comum, subjetivo e objetivo, mapa e território, autor e leitor, etc.

COMO O MUNDO VIRTUAL É RECHEADO DE IMPREVISIBILIDADES, A EXPERIÊNCIA DE HOJE FOI TÃO ENRIQUECEDORA, QUE RESOLVI FAZER UM ADENDO À TAREFA ANTERIOR DE COMENTAR A TEORIA DE PIERRE LÉVY. COMO FICA FÁCIL PERCEBER, OS COMENTÁRIOS QUE FORAM POSTADOS HOJE CEDO, MARCAM DOIS MOMENTOS DIFERENTES DA AULA, O PRIMEIRO MOMENTO, DA LEITURA E DISCUSSÃO DAS TEORIAS DO FILÓSOFO SOBRE VIRTUALIZAÇÃO, E O SEGUNDO MOMENTO, EM QUE VIVENCIAMOS O VIRTUAL, A UBIQUIDADE DE TEMPO E LUGAR, PRESENCIAL E VIRTUAL, JOGANDO NINTENDO WII. ABAIXO AS FOTOS DESSES MOMENTOS MARAVILHOSOS QUE PASSAMOS NUM SÁBADO QUE SERIA SIMPLES E SE TORNOU MEMORÁVEL!! OBRIGADA PELA PARTICIPAÇÃO DE TODOS!! A EDUCAÇÃO PRECISA DE PROFESSORES ABERTOS ÀS NOVAS POSSIBILIDADES, VOCÊS JÁ FAZEM PARTE DA EDUCAÇÃO DO FUTURO, PESSOAL!! PARABÉNS PELA ATITUDE!!












52 comentários:

  1. A existência dentro da inexistência, viajar a grandes distâncias em questâo de segundos, estar presente em vários lugares ao mesmo tempo, a noção de ser antes mesmo de existir, são coisas maravilhosas proporcionadas pelo mundo virtual. Essa é a grande contribuição da tecnologia ao mundo, desde que seja utilizada de forma consciente e em benefício da humanidade.

    ResponderExcluir
  2. Estamos em uma época em que é impossível conviver sem os avanços e as facilidades que o mundo virtual nos trazem, porém é importante saber como ultilizá-las!!!
    Aí sim professora, vídeo game... até acordei ás 9 da madruga!!!

    ResponderExcluir
  3. A questão do "virtual tomar o lugar do real" fica mais uma vez esclarecida, uma vez que a cada etapa, fica mais fácil compreender que a tecnologia é uma aliada, e não inimiga.
    Entra também em foco, da "simultaneidade à distância" em que não é necessário um fuso horário e um espaço real para as pessoas se comunicarem e viajarem, enquanto mexem no computador...
    Será que com estas teorias a tecnologia ainda pode ser vista como um obstáculo, uma muralha?

    ResponderExcluir
  4. Após ler o texto de Lévy, começo a formar uma idéia mais ampla sobre o mundo virtual. A virtualização é algo mágico, mas não aquela mágica de ilusões, mágica no sentido de possibilitar situações do imaginário. Real e irreal deixam de ser conceitos antagônicos, tudo é possível. Deixamos de lado os conceitos de tempo e espaço. Quebram-se as barreiras e abrem-se novas perspectivas com possibilidades ilimitadas.

    ResponderExcluir
  5. Nós já estamos rendidos a todas essas facilidades e praticidades que "mundo virtual" pode oferecer, mas é necessário usar sem exageros, pois tudo em exageros faz mal.....

    ResponderExcluir
  6. A simultaneidade presente no virtual faz com que ele seja atrativo, hoje ele deixou de ser uma nova tecnologia para ser a ferramenta do impossível para o possível - atravessamos as fronteiras em um único momento, ou seja, o primeiro, o segundo contato já faz com que você conecte com essa virtualização. O texto de Levy finaliza muito bem esse mundo virtual, em que nos encontramos.

    ResponderExcluir
  7. O que mais me chama a atenção na questão da virtualização é saber que a temporalidade da realidade é, neste contexto, subjetiva. Esquecemos o que entendemos do tempo, as regras e fusorários... O "estar" presente já não é "físico e momentâneo". No virtual, o tempo pode ser atemporal e a distância é apenas uma palavra.

    ResponderExcluir
  8. Sei da importância das evoluções, principalmente para assuntos profissionais, porém talvez pelo fato de ter alguma dificuldade com a "máquina" ainda tenha um pouco de resistência ou quem sabe um pouco de "medo" de tanto avanço....Mas estou em um processo de melhoras e essas aulas estão sendo de fundamental importância para isso, já que estou iniciando na área educacional e sei que ter esses avanços tecnológicos fará toda diferença.

    ResponderExcluir
  9. Paula Barbosa Pudo27 de agosto de 2011 05:28

    Na verdade, Anderson, do mesmo jeito que um jogo pode ser usado para facilitar o entendimento de teorias de um filósofo, acredito que o professor sempre pode trazer para a sala de aula dispositivos tecnológicos a seu favor e de seus alunos, fazendo uma complementação das atividades presenciais com o auxílio das possibilidades virtuais. Nossos alunos já nasceram num contexto em que a convivência das duas materialidades - presencial e virtual - fazem parte de sua rotina. Na verdade, trata-se de uma oportunidade para aprender com nossos alunos, afinal, eles sabem viver a "existência dentro da inexistência" em realidade paralelas, temos mauito que aprender com eles!!

    ResponderExcluir
  10. É muito bom navegar no espaço do imaginável e dividir conhecimentos, emoções,curiosidades além das fronteiras mesmo em tempos diferentes. Discutir o uso da tecnologia nos faz viajar no pensamento do outro sem realmente a necessidade de ter que compreender e sim aproveitar e compartilhar acontecimentos a distância e interpretar da maneira que quiser.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. o mundo virtual é uma maneira de nos comunicar, em qualquer lugar do mundo á qualquer hora. estamos em uma época onde a tecnologia esta ao nosso redor,trazendo varios benefícios e avanços ao mundo virtual.

    ResponderExcluir
  13. Concordo com a Carol quando diz que precisamos ter controle e evitar exageros quando utilizarmos tais ferramentas virtuais. Acredito que essa questão do "exagero" está vinculada a tudo que fazemos na nossa vida, no real ou virtual, tudo o que é estrapolado foge do equilíbrio natural das coisas.

    ResponderExcluir
  14. O mundo e sua inovações, felizmente aos poucos esse grande preconceito contra a tecnologia vem acabando, no mundo em que vivemos hoje a tecnologia não vem necessariamente para tomar o lugar do real, e sim nos da uma breve noção de como seria aquilo posteriormente, levando em consideração que com grandes tecnologia nós vivemos quebrando barreiras, a cada dia...

    Bora tirarum X1 Anderson, tem counter striker ai professora???....

    ResponderExcluir
  15. O fato não precisarmos mais levantarmos da cadeira para conhecer o mundo,nos torna a cada dia mais preocupados em seguir esse mundo que só cresce. Abrimos mãos das coisas demoradas e nos adpatamos ao desenvolvimento virtual.
    A qual permite de sermos os primeiros planetário da "AUSÊNCIA DE EXISTÊNCIA".

    ResponderExcluir
  16. nintendo wii dia de sabado... ai ai ai a Paula é meio violenta rsrsrs... jogou o bonequinha.. na agua laem baixo....

    ResponderExcluir
  17. marcos vinicius pereira27 de agosto de 2011 05:38

    creio que a virtualização pode ser vista em dois aspectos , positivo e negativo positivo por romper asc berreiras do espaço físico negativo por não haver o contato humano ,,a virtualização da realidade é vista em obras como marx que comparava os trabalhadores á formigas ......Leo hubbermann história da riqueza do homem cita :
    "abelhas da inglaterra por que arar a terra daqueles que os mantém na miséria ?,,,,,george orwel vai mais além em revolução dos bichos comparando os seres humanos com animais como porcos por exemplo......a virtualização é isso não necessitamos escolher a ferramenta mas saber usar a imaginação............Marcos Vinicius 6° letras

    ResponderExcluir
  18. marcos vinicius pereira27 de agosto de 2011 05:44

    nintendo wii,,,,,,,,,,,o barato é louco ,meio suurealista na época de julio verne isso era loucura.....conceito L.A ( bem idade moderna 1600-issac newton) quem inventou isso iria para a fogueira da inquisição

    ResponderExcluir
  19. Podemos ficar com esta aula até as 22:00hs, só saíremos daqui direto para comermos uma pizza, que tal pessoal? rsrsrs!!!
    Após o vídeo game, pizza!!!!
    Tô dentro....

    ResponderExcluir
  20. A tecnologia vem para somar idéias,mas se em mãos erradas e despreparadas pode prejudicar a real necessidade do acesso, nem sempre o usuário usa para algo de aproveitável e isso as vezes congestiona a rede e a gente desiste de acessar.

    ResponderExcluir
  21. marcos vinicius pereira27 de agosto de 2011 05:49

    Aí sim hem ..quebrar fronteiras mentais e espacias,,aulas com jogo ´´o processo não é lento.....vixxxxxxxxxx muita treta !!!!!

    ResponderExcluir
  22. marcos vinicius pereira27 de agosto de 2011 06:18

    muito loko heim gostei da experiencia vou comprar um desse sera q dá pra cantar Rap nele (estilo assim Batalha de rimas) deve ser da hora fazer Freestyle nesse esquema!!!!!( ô Ágatha manera aí meu ) massacrou meu jogador!!!!!!!!!!!!!vai ter troco....vou treinar para a revanche se prepara´´´;;;nada pessoal>>>>

    ResponderExcluir
  23. marcos vinicius pereira27 de agosto de 2011 06:21

    caramba Beth só apanha ,,,,,,eh Carol manera aí meu;;;;;;até q enfin Beth consegui derrubá-la vá em frente c ganha esse jogo

    ResponderExcluir
  24. Hahahahaha acabei com a Beth...rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  25. marcos vinicius pereira27 de agosto de 2011 06:23

    vai Antônio né machismo não .mas quebra a Ágata ela me espancou vai q vai mano

    ResponderExcluir
  26. marcos vinicius pereira27 de agosto de 2011 06:26

    ô professora manda os vídeos e as fotos pra mim ? Blz?????To adorando esse negócio!!!!!!!!!!!!!!!!!!PROXIMA PARTE ---um ex sectário da tecnologia ....vai dar poema....ou crônica ´´´´como saimos do conceito de impossibilidade acho q vai virar livro

    ResponderExcluir
  27. A Beth é muito fraca, meu... dá até dó!!!!
    Que decepção hein meu irmão Toninho,apanhou muuuuitooooooo!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  28. marcos vinicius pereira27 de agosto de 2011 06:29

    Caramba Carol vc é malvada Heim????????rsrsrsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  29. marcos vinicius pereira27 de agosto de 2011 06:34

    carai é dahora até pra quatro pessoas jogarem diriam no Domingo em alguma reportagem ALIENANTE da Globo.....É FANTÁSTICO!!!!!!!

    ResponderExcluir
  30. marcos vinicius pereira27 de agosto de 2011 06:38

    aí Shiro mostra suas habilidades aí meu !!!!!!!c deve jogar bem ,,,,,,esconde o jogo nao:::::rsrsrsrsrsrsrsrsr

    ResponderExcluir
  31. Há... Gostei disso... É bom para um dia de stress, pq vc pode descontar nos bonequinhos! :P
    Pode até ser aquele dia de uma nota ruim... (não é uma ameaça, professora... :P)

    ResponderExcluir
  32. ... sim bom para tirar o estresse... adoro

    ResponderExcluir
  33. marcos vinicius pereira27 de agosto de 2011 06:43

    boliche ,,,,,não precisa nem ir pro Shopping jogar ...... dahora tô adorando !!!tem um de Breakdance ou dança de Rua não!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  34. Boxe, não, Tábata... Não tira sangue (a não ser que um morda a orelha do outro... O.o)
    Gosto de espadas e machados, açoites, e tals...

    ResponderExcluir
  35. marcos vinicius pereira27 de agosto de 2011 06:49

    é q pena tenho que vazar .ou formalmente falando vou me retirar q pena tenho q trampar (carai sem querer querendo rimei )é isso aí

    ResponderExcluir
  36. marcos vinicius pereira27 de agosto de 2011 06:52

    até a próxima:::::::aproveitem se de pra aplicar isso vou fazer L.A já pensou musica jogos e linguistica???????

    ResponderExcluir
  37. Paula Barbosa Pudo27 de agosto de 2011 06:53

    Muito engraçado ler esses comentários, mas o melhor está em ver todos vocês fazendo essa interação ubíqua de tempo e espaço, hibridizando o tempo-espaço físico e a materialidade virtual. Aplicação imediata das teorias de Pierre Lévy nas experiências partilhadas em algumas horas de deleite em uma manhã nublada de sábado...sinto-me realizada e tenho certeza de que o filósofo

    ResponderExcluir
  38. Eu não fui para esta aula, mas quero ver as fotos...isso eu quero...rsrsrssrrssr

    ResponderExcluir
  39. Ah!!! Sem dúvida um momento para se guardar na memória... Aí está a prova cabal das teorias de Pierre Lévy, evidências fortíssimas para a galera da Unicamp, né Mestra Paula? rsrs... Obrigado por participarem dessa aula (sei que não foi sacrifício né? rs).. Aguardaremos outra oportunidade hehe

    ResponderExcluir
  40. marcos vinicius pereira10 de setembro de 2011 05:29

    É diante desses conceitos científicos devemos ter em mente a célebre frase de Patocka que essa diz :'O devenir é doravante problematizado e o será para sempre.' O futuro chama-se incerteza.
    pois no dever não deve ser fixado o conhecimento poara o previsível esse vira o chamado devir que é a ação do não dever, o fazer acontecer e essa evolução passará futuramente a ser chamada de devenir que é o trabalho não baseado em coisas previstas , mas transformar o imprevisto em grande reflexão de ação

    ResponderExcluir
  41. marcos vinicius pereira10 de setembro de 2011 05:39

    é. certo e errado são paradigmas modernos pois o pensamento científico não de ve se fechar em certeza mas em incertezas diante desse conceito somos geradores nâo de finalização mas de novas decobertas para chegar em constante evolução e como dizia o poeta ""sei lá (acho que era eu ) se muito vale o já feito, mais vale o que será.....

    ResponderExcluir
  42. marcos vinicius pereira10 de setembro de 2011 05:47

    putsquelaporradocaralhoquepariusefoderessaporranãovaiaparecernessainternetlentaquenãodáespaçoparaopensamentodeumloucoquepensaemconceitoscientificosumpoucocoerentesdessemundoincoerenteinconscienteinfelismente.......
    paradigma poético da não previsibilidade conceitosde L.A pois era previsto que apareceriatudo organizado mas a junção das palavras gerou a incerteza do que é """"poeminha Dadaísta"""

    ResponderExcluir
  43. Discutir como o mundo é e como tende a ser dependendo do ponto de vista de cada um e sua visão de mundo nos dá a certeza de que a única coisa que realmente é certo nesse mundo é a incerteza do que está por vir. As dúvidas, os questionamentos e as possibilidades de mudanças é o que nos move em direção ao futuro.

    ResponderExcluir
  44. Para entender perfeitamente o conceito da tecnologia, deve-se traçar um paralelo entre o que é real e o que é virtual. Seguindo essa linha de raciocínio, algo real teria características físicas, concretas; já o virtual está associado àquilo que é simulado, abstrato. Dessa forma a virtualização pode ser definida como a criação de um ambiente virtual que simula um ambiente real, propiciando a utilização de diversos sistemas e aplicativos sem a necessidade de acesso físico à máquina na qual estão hospedados.

    ResponderExcluir
  45. eu concordo com a miriam a virtualização está aqui para a criação do ambiente virtual simulando o real, quando se fala em virtualização se lembra de mudanças no mundo, o real esta aqui para nos lembrar que o virtual existe para ser explorado, ataves da virtualização veremos mudanças futuras.Ivonete dos Santos RGM: 3490

    ResponderExcluir
  46. concordo com a ivonete, através da virtualização veremos muitas mudanças esperamos que seja para melhor, com o crescimento dos conhecimentos tecnológicos acho que trará muitos beneficios para o novo mundo.

    ResponderExcluir
  47. entro de acordo com a ireslene pois, a virtualização,trará muitos benefícios para o mundo e fará que através, da tecnologia é que teremos as mudanças que precisamos onde podemos nos comunicar, comprar, expressarmos da maneira que quisermos.

    ResponderExcluir
  48. Silvana RGM 4249 - Letras

    Visitei o Ciberespaço e achei o local agradável, perfeito para debates, parabéns a todos.

    ResponderExcluir
  49. Silvana Vicente RGM 4249 Letras

    Achei interessante participar dos eventos educacionais que foi proposto pelo blog.

    ResponderExcluir
  50. Maria Cristina Vidal RGM 4387 Letras

    Conclui que esse espaço é muito importante para nós alunos de letras, onde podemos nos encontrar e trocarmos conhecimento a respeito da educação.

    ResponderExcluir
  51. Não é tão simples assim estabelecer barreiras entre o mundo REAL e o VIRTUAL, já que atualmente podemos fazer por exemplo um vestibular on-line. As vezes o virtual é também o real. O virtual está aí para facilitar a vida das pessoas, mas deve-se ter cautela e saber usar para o bem.
    LILIAN MISQUITA RGM 4649

    ResponderExcluir